Esteatose Hepática: Entenda como ela se forma


Pessoas com gordura abdominal além da conta desenvolvem resistência à insulina- ou seja, o hormônio falha na hora de botar a glicose para dentro das células (hepatócitos). Daí, após as refeições, partículas de açúcar são mal aproveitadas pelo corpo. No fígado, esse excedentes vira matéria prima para mais gordura.









É ali que são montadas as moléculas de triglicérides, uma das formas de gordura mais comun no organismo. Normalmente a própria glândula(fígado) faz questão de despachá-las. Uma parcela delas é queimada lá mesmo e a outra é liberada para a circulação por meio de uma proteína, a VLDL.








O problema, porém, recai mais uma vez sobre a resistência à insulina. Para driblar o distúrbio e abastecer os tecidos de glicose, o organismo passa a fabricar mais e mais dessa substância. Só que, justamente no fígado, essa sobrecarga bloqueia os mecanismos de queima e transporte dos triglicérides.








Se você notou, foram interrompidas as duas vias de eliminação dos triglicérides. Sem saída, eles começam a se depositar no interior das células do fígado, os hepatócitos. Quando mais de 5 ou 10% deles se encontram abarrotados, é esteatose hepática.




Palavras: esteatose hepática, fígado gorduroso, cirrose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário