Esteatose Hepática: Entenda como ela pode prejudicar seu fígado


Recheadas de gordura (triglicérides), as células do fígado ainda trabalham, mas já não são tão eficientes quanto antes, além de ficarem mais sucetíveis a danos. O estoque de gordura por sua vez, estimula a formação de radicais livres, moléculas capazes de lesar as células do fígado.








O acúmulo gorduroso também faz as defesas recrutarem substâncias que instauram um processo inflamatório no local. Quando recorrentes, essas inflamações enfraquecem as células do fígado, que, diante de sucessivas agreções, se degeneram- é o que chamamos de esteato-hepatite.







Por um bom tempo, o fígado consegue substituir as suas células mortas. A partir de um momento, porém, ele não dá mais conta desse reparo e passa a tecer fibras para preencher o espaço vago(cicatrização). A medida que esse tecido, mais parecido com uma cicatriz, se espalha, o orgão perde as suas funções. É assim que vem a cirrose.

Palavras: nutricionista, dieta, esteatose hepática, fígado gorduroso, cirrose.

Nenhum comentário:

Postar um comentário