Consumo de sal x hipertensão arterial x doença cardiovascular

A pressão alta é o maior fator de risco para a doença arterial coronariana (infarto agudo do miocardio) e cerebrovascular, tanto nas formas isquêmicas quanto hemorrágicas (derrame). Os níveis limítrofes de pressão arterial para adultos situam-se entre 130-139mm de Hg (sistólica) e 85-89mm de Hg (diastólica). No Brasil, a pressão alta acomete de 22 - 44% da população e cresce com a idade, a ponto de 3/4 das pessoas com 70 anos serem hipertensas. Dos muitos fatores de risco associados com a pressão alta, aquele que tem sido mais investigado é o consumo diário de sódio na dieta. 
A figura a baixo mostra a relação entre a ingestão diária de sódio (6-12g de sal/dia), alteração da pressão arterial, doença cardiovascular e risco de morte.
O conhecido estudo denominado DASH (Dietary Approaches to Stop Hypertension) ou "caminho" dietético para parar a hipertensão submeteu os participantes a uma dienta contendo 3,5 g de sal/dia e comparou com o grupo controle que consumia >6g de sal/dia. Essa diferença no consumo de sal representou uma queda na pressão sistólica da ordem de 7mm de Hg, o que pode representar um impacto de -14% de risco de acidente cardiovascular cerebral e -9% de risco de doença arterial coronariana. 
A Organização Mundial da Saúde (OMS) tem recomendado a ingesta de <2.000mg ou 2g de sódio/dia (<5g de sal/dia) para a prevenção de enfermidades crônicas como a pressão alta.


Nenhum comentário:

Postar um comentário